QUE NADA

Eu amo esse imenso
vazio que eu tenho.
Um pouco de tudo
que foi, que fui,
que nunca…

Por todo esse nada que eu tenho,
tudo o que tenho é amor.

Se alguém rouba, e preenche,
o nada que é meu,
eu sempre retomo e, de novo,
sou nada mais eu.

O preço da liberdade
É um grande vazio
de saudade.
É um nada por dentro.
Que nada! É amor.

Jéter Silveira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: