MALDADE

O tempo me priva, aos poucos,
De cada orgulho meu.
Cada vez que isso acontece,
Me torno melhor, e mais eu.

Me torno mais simples, e atento
A cada injustiça que passa.
Sinto, com amor, a desgraça,
E com compaixão o tormento.

E o mundo me priva, aos poucos,
De cada orgulho meu.
E a vida transforma a maldade
No melhor que me aconteceu.

Jéter Silveira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: