Curso – Lutas Constitucionais no Mundo Islâmico

Pessoal, tem um site muito interessante que tem muitos cursos gratuitos, online, para se fazer, alguns deles, mediante pagamente, fornecem certificação verificada (com uma espécie de assinatura digital da instituição de ensino). É o http://www.coursera.org.

Esse vídeo é uma aula do curso que vou fazer, que deve iniciar segunda-feira, com a duração de 10 semanas. O curso se chama Lutas Constitucionais no Mundo Islâmico (Constitutional Struggles in the Muslim World), com o Professor Ebrahim Afsah, da Faculdade de Direito da Universidade de Copanhegen, na Dinamarca.

A justificativa do curso é em razão das dificuldades (e nós acompanhamos nos noticiários as lutas e manifestações) do mundo islâmico em determinar uma forma de governo adaptada ao mundo moderno. O direito, no mundo islâmico, é amplamente o direito religioso, do Islã. O professor Ebrahim, nesse vídeo, apresenta quatro diferentes grupos ou abordagens sobre o problema constitucional do mundo islâmico no mundo moderno.

O primeiro grupo ou abordagem é o dos Emuladores, ou Secularistas. A idéia dessa primeira abordagem é uma total emulação (como “imitação”) do Oeste, ou do Mundo ocidental. Nessa visão a religião deveria ser restrita ao privado, e o estado deveria ser laico, como no entendimento secularista. Como exemplo as universidades, como a Universidade do Cairo, que funciona aos moldes do ocidente, não da religião, mas do racionalismo.

O segundo grupo é dos Modernistas Religiosos, que querem estar próximos da tradição, que é a religiosa, porém propõem uma reforma (o professor cita Marrocos e Tunísia como os países provavelmente mais próximos dessa abordagem – tenho uma amiga na Universidade do Sul da Flórida indo pro Marrocos ano que vem para aprender Árabe.. diz ela que virou muçulmana hehe). A reforma se daria no âmbito das concepções da família, particularmente no papel da mulher na economia moderna, porém pautada na religião.

O terceiro grupo é dos Tradicionalistas, que defendem que está bem assim, e que o mundo islâmico não precisa mudar nada. Os governos islâmicos, as sociedades islâmicas, não estão apenas bem como estão, mas ainda são superiores às sociedades ocidentais. E apontam como defeito os altos índices de divórcio, as desestruturações familiares, a prostituição, etc.

O quarto grupo é o dos Fundamentalistas, que acreditam que precisa mudar, mas no sentido dos fundamentos da religião. Acreditam que deve haver um retorno às origens da religião, uma tentativa de reproduzir a sociedade como havia sido proposta pelo Profeta. Esse, segundo o professor, é um grupo bem diverso e ativo, bastante teoricamente produtivo. É a visão do Islã como única ordem moral, como a terceira “forma de governo” (ao lado do capitalismo, e socialismo), o “third way”, como uma forma alternativa e superior ao capitalismo e o socialismo, pautada nos fundamentos da religião.

Esse é um resumo dessa pequena introdução em vídeo do Prof. Ebrahim ao curso.

Quem tiver interesse, e só entrar em http://www.coursera.org e fazer o cadastro, que é gratuito. Esse curso é gratuito, e dá certificado de assistência.

Valeu!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: